A questão alimentar no contexto contemporâneo, as disputas de narrativas em torno da comida, os aspectos relacionados ao consumo de alimentos, a agenda regulatória e a culinária como prática emancipatória serão os fios condutores do seminário “Sentidos e práticas da comida de verdade: entre a captura e a emancipação”, que será realizado na tarde desta sexta-feira, 02 de outubro, pela Ação Coletiva Comida de Verdade: aprendizagem em tempos de pandemia.

Sob a mediação da docente da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), Inês Rugani, o seminário contará com a presença da educadora popular, culinarista e aprendiz da agricultura agroecológica, Ana Santos; do docente da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) e assessor estratégico da ActionAid, Jorge Romano; e da pesquisadora da Universidade de São Paulo (USP) e consultora do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (IDEC), Ana Paula Bortoletto. A ambientação cultural, que já se consagra como um essencial momento de encantamento nos seminários da Ação Coletiva, ficará a cargo de Thais Paiva, artista e educadora popular da Escola de Teatro Popular do Rio de Janeiro (RJ). A fala inspiradora, por sua vez, será guiada pela experiência da docente da Universidade de Brasília (UnB), Elisabetta Recine.

Este será o terceiro seminário que compõe o ciclo de debates realizado pela Ação Coletiva com o intuito de fortalecer o mapeamento das experiências de abastecimento alimentar com comida de verdade no Brasil, bem como as discussões sobre os efeitos da pandemia pela Covid-19 nos processos de fortalecimento de sistemas agroalimentares saudáveis e sustentáveis. 

Não perca!

Salve a data! Seminário: “Sentidos e práticas da comida de verdade: entre a captura e a emancipação” 02 de outubro, sexta-feira 17h, horário de Brasília.