Tipologia da Inclusão Produtiva Rural e sua incidência em políticas públicas de desenvolvimento rural sustentável

O Projeto TIPR é um estudo sobre experiências de sistemas agroalimentares sustentáveis desenvolvidas por movimentos sociais, redes e organizações rurais que contribuíram para a redução de processos crônicos de exclusão social nas regiões Norte, Sul e Nordeste do Brasil.

A pesquisa ocorre no contexto em que a crise sanitária de Covid-19 aprofundou a insegurança alimentar nos lares brasileiros, especialmente nos de famílias rurais, agravou  problemas de logística na distribuição de alimentos e acelerou a digitalização dos sistemas alimentares, isolando comunidades com baixo acesso à internet, e diminuindo a capacidade de suprir as demandas por alimentos saudáveis e sustentáveis.  

Somam-se a esses fatos a suspensão dos serviços de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER), e a limitação de apoio por parte do Governo Federal do Brasil aos pequenos produtores.

Matriz de Indicadores

O objetivo da pesquisa é construir uma matriz que indique os níveis de inovação inclusiva dessas experiências, de modo que iniciativas exitosas possam ser replicadas, e que seus resultados sirvam a gestores públicos como ferramenta para o ajuste ou formulação de políticas públicas de desenvolvimento rural sustentável.

Inclusão Produtiva Rural e ODS

Diante desse contexto, a construção da matriz destaca as experiências e iniciativas de Inclusão Produtiva Rural (IPRprotagonizadas por agentes populares, que serão analisadas a partir de  três áreas prioritárias para a IPR: 

  1. Aumento da produtividade dos pequenos negócios agrícolas; 
  2. Aperfeiçoamento de estratégias de acesso à mercados; 
  3. Inclusão produtiva associada à promoção de segurança alimentar.

Além disso, a matriz de indicadores também observará se as experiências contemplaram os Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável (ODS) indicados na Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU), especialmente os ODS N° 1 – Erradicação da Pobreza; Nº 02 – Fome Zero; Nº 3 – Boa saúde e bem-estar; Nº 12 – Consumo e produção responsáveis.

Produtos e Atividades

Níveis de Inovação Inclusiva

Para cada área prioritária da IPR, a matriz indicará se as experiências se enquadram em um ou mais dos seguintes níveis de Inovação Inclusiva,  que corresponde a todo novo produto ou processo produtivo que busca satisfazer as necessidades de populações de baixa renda ou escolaridade: 

  1. Inclusão de intenção; 
  2. Inclusão de consumo; 
  3. Inclusão de impacto;
  4. Inclusão de processo;
  5. Inclusão de estrutura;
  6. Inclusão pós-estrutural.

Base de dados

A formulação da TIPR – matriz de indicadores terá como base de dados documentos e entrevistas resultantes de experiências de sistemas agroalimentares sustentáveis mapeadas por projetos desenvolvidos nos estados do Amapá, Amazonas e Pará (Norte), Rio Grande do Sul (Sul), Bahia, Pernambuco e Ceará (Nordeste).

Logomarca do Projeto Ação Coletiva Comida de Verdade: um circulo com três mãos dentro, dando destaque ao trabalho coletivo. Ao lado das mãos, também na parte interna do círculo, alimentos naturais, como beterraba e abacate. Na parte externa, a descrição do nome do Projeto "Ação Coletiva Comida de Verdade".

Projeto Ação Coletiva Comida de Verdade

ACCV

Mapeou experiências de abastecimento alimentar para enfrentamento da pandemia de Covid19 nas regiões Nordeste e Sul,  e de  valorização de produtos nativos e da agroecologia na região Norte. 

Projeto Dom Helder Câmara

PDHC

Identificou como as ações de fomento produtivo com assistência técnica favoreceram a diversificação da produção, melhoramento da infraestrutura produtiva e acesso a mercados em áreas rurais da região Nordeste.

    Projetos Refloramaz e Odisseia

    Mapearam experiências de produção de alimentos para abastecimento de populações urbanas, a promoção da agroecologia como alternativa à produção da soja e uso de agrotóxicos,  a restauração da Amazônia Oriental por pequenos agricultores a partir do plantio de espécies que favorecem a segurança alimentar e financeira no Norte do Brasil.

      Projeto Agrofloresta e agricultura biodinâmica

      AAB

      Mapeou o manejo biodinâmico de citros e agroflorestal, ampliação da qualidade das frutas e da sustentabilidade de propriedades na região Sul.

      Equipe Acadêmica & Comitê Assessor

      Dra. Cidonea Deponti

      UNISC/Observa DR/RETE

      Dr. Ivan G. Peyré Tartaruga

      CEGOT- Universidade do Porto/RETE

      Dra. Mireya Valencia

      RETE/Rede PP-AL/CEGAFI/ACCV

      Ms. Fernanda Vasconcellos

      GEPAD / Doutoranda PGDR/UFRGS

      Dra. Danielle Wagner

      UFOPA-IEB/ Grupo INCT Odisseia

      Dra. Joice Nunes Ferreira

      Embrapa Amazônia Oriental (Belem)/ Grupo Refloramaz/Sustenta & Inova

      Dr. Paulo Cesar Diniz

      UFCG/RETE

      Dra. Emilie Coudel

      CIRAD/Rede PP-AL/Refloramaz/Sustenta & Inova e do INCT Odisseia.

      Dra. Dalva da Mota

      Embrapa Amazônia Oriental (Belem)

      Dra. Lívia Navegantes Alves

      UFPA-INEAF/ Grupo Refloramaz/Sustenta & Inova

      Dra. Potira Viegas Preiss

      UNISC/Observa DR /RETE/ACCV

      Dr. Eric Sabourin

      CIRAD/Rede PP-AL/RETE

      Dr. Douglas Oliveira

      UFRA/RETE

      Dra. Luciana Travassos

      UFABC/ RETE

      Dr. Ricardo Theophilo Folhes

      UFPA-NAEA/ Grupo INCT Odisseia

      Dr. Jean François Le Coq

      CIRAD/Rede PP-AL

        Dr. Gabriel Resque

        UFRA/Grupo Refloramaz/Sustenta & Inova

        Dr. Mario Ávila

        CEGAFI-UnB/ RETE/ Rede PP-AL

        Ms. Vincent Bonnal

        Cirad-Tetis/UnB-CDS/ INCT Odisseia

        Dr. Marc Piraux

        CIRAD/RETE/Rede PP-AL

        Apoio

        O Projeto TIPR é viabilizado com recursos provenientes do edital Cátedra Itinerante Inclusão Produtiva Rural (2021-2022), uma iniciativa do Cebrap Sustentabilidade em parceria com as Fundações Arymax e Tide Setubal e o Instituto Humanize.